12 de out de 2016

Flica 2016 reúne grandes nomes da literatura local, nacional e internacional em Cachoeira


A aguardada programação da 6ª edição da Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica), que acontece de 13 a 16 de outubro, na histórica cidade baiana, localizada a 130km de Salvador, está repleta de grandes nomes da literatura local, nacional e internacional.

A estreia será com Mary Del Priore. A carioca abre os trabalhos no dia 13, às 15h, com a mesa temática “Histórias da Gente Brasileira”, mesmo nome de seu mais recente livro, lançado pela editora LeYa. Esta é uma das novidades desta edição da Flica, já que é a primeira vez que acontece uma mesa totalmente dedicada a um livro. A mediação será do Secretário de Cultura do Estado da Bahia, Jorge Portugal.


No dia seguinte, sexta-feira (14), às 10h, é hora do bate-papo entre Eduardo Spohr e Scarlet Rose. Mediada por Suzane Lima Costa, a mesa “Do Éden à Finlândia” conduzirá o público ao mundo da fantasia. Com mais de 800 mil livros vendidos, Spohr é considerado um dos maiores autores nacionais de fantasia. Já a soteropolitana Scarlet Rose fala sobre o livro “Finlândia”, seu primeiro romance.

Miltom Hatoum e João Filho são as estrelas da mesa “A Voz do Autor”, que acontece dia 14, às 15h, com mediação de Mirella Márcia. Os premiados autores, como sugere o nome do encontro, falam de seus papeis como escritores e, claro, o papo será daqueles imperdíveis.

Ainda no dia 14, às 19h, acontece a mesa “O Mar, um Mapa, a Audácia”, promovendo o encontro entre Ana Maria Machado – homenageada desta edição da Flica – e Mônica Menezes. Vencedora de três Jabutis, Ana Maria Machado é vista pela crítica como uma das mais versáteis e completas escritoras brasileiras contemporâneas. A poeta e professora Mônica Menezes, por sua vez, estuda e escreve sobre literatura infantil e juvenil e literatura brasileira contemporânea.

Abrindo o fim de semana, no sábado (15), às 10h, o encontro será entre dois importantes nomes: o colombiano Juan Gabriel Vásquez e o paulista Antonio Prata. Com mediação de Zulu Araújo, a mesa tem o seguinte tema: “Histórias de Humor Sutil, Micromundos Familiares e Fratura Generalizada”.
Depois, às 14h, a poeta mineira Ana Martins Marques e a poeta e professora baiana Ângela Vilma se encontram na mesa “Exílios Interiores”, com mediação da também poeta Mônica Menezes.

Ainda no sábado, às 17h, a mesa “As Águas dos Contrassonetos e os Olhos da Vândala Insubmissão” reúne Conceição Evaristo e Alex Simões. A produção de Conceição abarca poesia, contos, romances e ensaios literário, abordando assuntos relacionados à educação, gênero e relações étnicas na sociedade brasileira. Poeta, escritor, professor, performer e tradutor, Alex já publicou diversos livros e colabora em revistas como Poesia Sempre. O papo será mediado pela poeta baiana Lívia Natália.

Outra atração internacional fecha o sábado, às 20h, na mesa “Entre Cidades Atlânticas”: Kabengele Munanga (Congo). Ao seu lado, a antropóloga e escritora baiana Goli Guerreiro. A mediação fica a cargo de Zulu Araújo, diretor da Fundação Pedro Calmon.

Por fim, encerrando a Flica 2016, o público confere edição especial do Caruru dos 7 Poetas, que começa no domingo (16), às 10h. Os homenageados nesta 12ª edição do Caruru dos 7 Poetas são Bárbara Uila, Camillo César Alvarenga, Deisiane Barbosa, Ebomi Cici, Fábio Haendel, Giselli Oliveira e Herculano Neto.


Fonte: Flica.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui