6 de fev de 2017

WR Studios abre as portas aos novos talentos da música baiana


Artistas e músicos emergentes da Bahia têm agora a oportunidade de gravar e mixar sua obra com qualidade técnica profissional em um dos mais tradicionais e bem conceituados estúdios de Salvador. A WR, gravadora que atua no mercado fonográfico há mais de 40 anos, anuncia o projeto WR de Portas Abertas, que irá oferecer a 36 novos talentos da música independente baiana a chance de ter acesso a um estúdio bem equipado, com mão de obra qualificada à disposição para conduzir todo o processo de gravação e mixagem de suas composições. A iniciativa, administrada pelo Instituto WR, foi contemplada através do Edital Setorial de Música 2016 e conta com o apoio financeiro do Governo do Estado da Bahia, através da Fundação Cultural, Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura. A proposta é abranger diferentes estilos musicais e possivelmente gerar uma coletânea inédita com esse material.

O projeto irá disponibilizar gratuitamente aos contemplados um material gravado com alto padrão de qualidade e que servirá a estes como ferramenta indispensável na abertura de novas frentes de trabalho e de difusão artístico-cultural. Para se inscrever, os interessados precisam estar cadastrados no Mapa Musical da Bahia – ação da FUNCEB que, desde 2012, mapeia a produção musical do estado – e não possuir discos lançados no mercado. É necessário ainda que os inscritos apresentem registro em áudio, preliminar ou amador, do material a ser gravado e mixado na WR. O critério de seleção levará em conta o potencial criativo das composições, assim como a possibilidade de oferecer registros fonográficos de boa qualidade técnica a artistas e bandas que apresentem dificuldade em custeá-los. As inscrições ficarão abertas entre os dias 1º e 20 de fevereiro e serão feitas exclusivamente através do e-mail wrdeportasabertas@gmail.com.

Após a validação das inscrições e a audição dos trabalhos pela curadoria, os selecionados serão informados pelos administradores do projeto e, em seguida, participarão de uma entrevista com os profissionais do estúdio que traçarão um plano de gravação de acordo com as experiências de cada artista/banda. As gravações deverão ocorrer durante os meses de março a maio de 2017, entre as segundas e quintas-feiras, das 22h às 05h, e serão divididas em dois períodos. Cada selecionado terá direito a 14 horas de estúdio, ao todo, sendo 8 horas dedicadas às gravações e 6 horas reservadas para mixagem/masterização do material. Caso queiram, os artistas poderão acompanhar também o processo de mixagem mediante agendamento prévio com os técnicos responsáveis.



Parceria com o Instituto WR

Esta não é a primeira vez que a WR abre as portas para músicos e bandas em início de carreira, dando-lhes a oportunidade de impulsionar suas carreiras e colaborar com a própria dinâmica da indústria fonográfica local. Falecido em 2016, o produtor Wesley Rangel, conhecido por promover a entrada de inúmeros nomes baianos no mercado do disco e no cenário cultural do país, já havia idealizado o projeto Emergentes da Madrugada, disponibilizando os estúdios WR durante a madrugada para gravar artistas iniciantes que não podiam arcar com os custos de aluguel dos estúdios durante o período diurno. Agora, inspirados na mesma filosofia do próprio Rangel, os idealizadores do WR de Portas Abertas, em parceria com o Instituto WR, pretendem dar prosseguimento à ideia de fomentar o potencial criativo dos que desejam ingressar no mercado da música.

Entidade civil sem fins lucrativos, o Instituto WR foi criado em 2015 com o objetivo de dar continuidade e ampliar as ações artístico-culturais desenvolvidas nos estúdios WR durante a gestão do seu fundador. A partir de convênios e parcerias com os setores público e privado, a entidade visa manter atividades de caráter social, socioambiental, educacional, artístico e cultural a serem realizadas no âmbito de iniciativas voltadas para formação profissional, treinamento e desenvolvimento humano.

Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA) – Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico e culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias Estaduais de Cultura e da Fazenda da Bahia. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 4 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação: Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais. Para mais informações, acesse: Mobilidade Artística e Cultural 2015.

Fonte: Secult Bahia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui