20 de mar de 2017

SecultBa divulga os projetos selecionados na primeira chamada do Edital de Mobilidade 2017


Há pouco mais de uma década o músico Gereba foi convidado para levar o espetáculo “Sertão Sertões São” para realizar apresentações no Festival Internacional de Teatro e Circo do Uruguai. A participação foi aclamada pelo público local e acabou rendendo uma carta do governo uruguaio ao Ministério da Cultura propondo parceria para a promoção de mostras e outras atividades entre os dois países. “Viajamos sem muitos recursos e sem boa parte do elenco, mas chegando lá ensaiamos com artistas locais, tendo um resultado gratificante”.

A experiência de Gereba, que fez parte da comissão temática que analisou as 84 propostas inscritas no Edital de Mobilidade Artístico-Cultural, serve muito bem para ilustrar a importância dessa linha de fomento, com recursos do Fundo de Cultura da Bahia (Secretarias da Cultura e da Fazenda da Bahia). São recursos da ordem de R$ 250 mil, para projetos de intercâmbio e difusão, residência artística e cultural e formação. O músico enfatiza importância da difusão dos bens artísticos e culturais para além da Bahia, ampliando, assim, a articulação dos agentes culturais baianos em outros mercados nacionais e internacionais. O resultado com os selecionados na primeira chamada de 2017 está publicado na edição deste sábado (18/03), no Diário Oficial da Bahia.

As atividades serão desenvolvidas nos locais de destino entre os meses maio e julho deste ano. O edital tem justamente o objetivo de permitir a circulação de projetos e também possibilitar ações de intercâmbio. Segundo o superintendente de Promoção Cultural da Secretaria da Cultura da Bahia, Alexandre Simões, o intercâmbio cultural proporciona aos artistas vivenciar experiências que serão absorvidas e depois repassadas localmente. “A cada edição vem crescendo o número de inscrições com propostas dos mais diversos segmentos. A grande marca dessa linha de fomento é a diversidade e o objetivo vem sendo alcançado ‘escoando’ o que se produz de bom na Bahia”.




Circulação


Simões reforça ainda que a circulação dos projetos não só divulga a produção artística e cultural baiana, como abre o horizonte dos artistas para novas experiências. Um dos pontos positivos que o edital somou foi o aumento considerado de propostas vindas da maioria dos 27 territórios de identidade da Bahia, com diversos projetos formatados fora dos grandes centros do Estado. A comissão gerenciadora do Fundo de Cultura, que avaliou os projetos, é formada por representantes do Ipac – Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural, Funceb (Fundação Cultural do Estado da Bahia), Secretarias da Fazenda e da Cultura, membros co Conselho Estadual de Cultura e da sociedade civil.

O músico Fernando Teixeira considera o edital importante para o desenvolvimento cultural do Estado. Ele é membro do Conselho de Cultura e atesta o crescimento da demanda. “O edital é voltado para a circulação cultural, com projetos de residência, formação, intercâmbio. Vemos ainda agentes propondo projetos que caberiam em outros editais, mas isso atesta justamente a importância que a classe artística dá para o Mobilidade. Temos propostas de grande qualidade, mas a característica do edital é apoiar iniciativas de troca de experiência além das fronteiras do Estado”.

A presidente da Fundação Cultural, Fernanda Tourinho diz que o Mobilidade garante visibilidade para o que se produz na Bahia. “É um trabalho difícil para os analistas definirem quais projetos serão selecionados. Ficamos satisfeitos em saber que boa parte dos projetos aprovados partiram de propostas vindas do interior. Esse ano tivemos proponentes aprovados em sete linguagens diferentes, somando 17 segmentos”. O membro do Conselho de Cultura, Sílvio Portugal elogia o Estado por manter os investimentos na área de cultura, apesar da crise econômica que o País enfrenta. “Os editais não foram afetados, ao contrário, os recursos estão crescendo e o melhor de tudo, com os pagamentos em dia, os editais ganham ainda mais credibilidade, dando tranquilidade aos agentes culturais na realização dos seus projetos. O processo de análise é serio e transparente, e acontecem muitas discussões até chegar aos selecionados”.

A primeira chamada do Edital de Mobilidade recebeu um total de 152 propostas, sendo inscritas 84 delas após a análise prévia. O passo seguinte foi a análise de mérito. A próxima chamada contemplará projetos com data de realização entre agosto e outubro de 2017. A SecultBA proporciona atendimento através da Central de Atendimento Integrado para orientar interessados e proponentes. A Central funciona de segunda a sexta-feira, das 14h às 17h, através do telefone (71) 3103 3489, e-mail mobilidade@cultura.ba.gov.br ou presencialmente, no endereço Palácio Rio Branco, Praça Thomé de Souza, s/n, térreo – Centro, CEP: 40.020-010 – Salvador/Bahia.

Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA)
 – Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico e culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias Estaduais de Cultura e da Fazenda da Bahia. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 4 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação: Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais. Para mais informações, acesse: Mobilidade Artística e Cultural 2015.

Portaria nº 50 - Resultado Análise Mérito 1ª Seleção

RESULTADO MÉRITO EDITAL MOBILIDADE ARTÍSTICA E CULTURAL 2017


Fonte: Secult Bahia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui