30 de mar de 2017

Será que dança do ventre emagrece mesmo?


Escrito por Bruna Nassif

A dança do ventre, além de ser considerada uma belíssima arte, a qual demanda muito empenho e dedicação, também é considerada uma atividade física e consequentemente propicia uma série de benefícios aos seus praticantes.

O que define o emagrecimento através da dança é a forma com que a aula é conduzida, a sua frequência semanal nas aulas e intensidade das mesmas.

No atual cenário da dança do ventre é possível perceber aulas extremamente técnicas, onde existe constante repetição de movimentos e exige total concentração da aluna. Isto nos apresenta uma aula com foco Neuromuscular. O que quer dizer? Quero dizer que demandamos nossa energia para determinada região, através da contração e do relaxamento muscular e executamos um movimento. Este tipo de aula nos traz enrijecimento muscular, tonificação e força das regiões mais trabalhadas. Segundo o meu estudo, as regiões musculares mais ativadas durante a prática da dança são: Abdômen, Glúteos, Quadríceps, Posterior e Quadrado Lombar.  


Quem nunca dançou nem praticou atividade física na vida, quando inicia alguma prática, sente uma grande diferença no seu corpo, e existe sim a possibilidade de perder alguns quilinhos extras. O que acontece é que você propõe um novo estímulo ao seu corpo, o seu metabolismo vai acelerar para responder ao ‘estresse’ que foi proposto. Desta maneira, é possível emagrecer. O grande problema da nossa área é que após 2 ou 3 meses de aulas, não existe mais nenhuma novidade para seu corpo, ou seja, nenhum novo estímulo, nenhum novo estresse. Pois você entra na rotina das aulas de dança, principalmente se frequenta turma regular de 1 x por semana apenas. Acontece o famoso efeito platô, o seu corpo já conhece tudo o que está por vir, já se adaptou com a rotina de ter 1 dia na semana para praticar o mesmo estilo de aula. E é aí que entramos no foco neuromuscular:  a tonificação muscular é algo constante nesta prática. Mas o emagrecimento tão motivador deixa de ocorrer no 2º mês de aulas.

Como em qualquer treinamento físico, seja musculação, natação ou corrida, os atletas sempre recebem novos estímulos, novos estresses. Isto evita que ocorra o efeito platô, mantém a constante evolução do atleta, e desta forma não subestima o seu potencial. Por isso existem períodos para mudar os treinamentos, propor novas metas, novos desafios. Assim é garantido que o metabolismo continue acelerado, que a queima calórica continue elevada, e que os objetivos de cada treinamento sejam alcançados.

Objetivos de treinamento: como podemos trazer isso para a dança? O objetivo de quem faz aulas de dança é dançar, certo? Nem sempre. Como dito no início desta matéria, existem muitas mulheres que buscam a artimanha da Dança do Ventre para emagrecer.
Atenção: o tipo de aulas que citei acima, com técnicas e com foco neuromuscular, é INDISPENSÁVEL no aprendizado desta arte, seja lá qual for o seu objetivo.

Ah, vale lembrar: Se você é profissional, dá mais de 5 aulas todos os dias, faz shows quase que todos os finais de semana e vive nesta rotina há bastante tempo... A regrinha citada acima também aplica-se a você pelos mesmos motivos. Toda esta rotina, todos estes estímulos, tudo o que você faz já é muito comum para o seu corpo. Nós precisamos fugir da estagnação, estagnar é ao contrário de evoluir. Para existir uma evolução, é necessário que haja sempre novos estímulos, novos desafios e novas superações.

Quer emagrecer? Por onde começar?
Existem 3 fatores básicos e extremamente necessários para quem decide emagrecer, seja lá qual for o seu motivo. É necessário – Dedicação, Treinamento Adequado e Alimentação Adequada.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam este processo não funciona como uma receita de bolo. Cada pessoa apresenta um perfil completamente diferente do outro, cada pessoa tem um estilo de vida diferente, hábitos diferentes e disposições diferentes.

- A primeira coisa que você precisa saber é se está tudo ok com a sua saúde. Quem tem que te dizer isto é um médico, e não é sua mãe, seu amigo, seu namorado ou sua professora. Somente com exames você pode saber se está apto para a prática de qualquer atividade física. Além disso, muitas pessoas praticam atividade física, fazem de tudo para emagrecer mas não conseguem, e nunca nem cogitaram passar no médico para saber se tem algum problema hormonal, ou algo que de fato bloqueie a sua perda de peso. Por isso, atenção!

- A segunda coisa é analisar o seu estilo de vida e ir a um nutricionista! Não caia nas dietas da Lua, da Sopa, da Proteína. Lembre-se que cada um é cada um. Cada corpo tem uma necessidade diferente, cada pessoa tem uma rotina diferente e para cada um existe uma alimentação correta que vai tratar de manter a sua saúde em dia, além de auxiliar na perda de peso.

Se você estiver pensando neste momento: “Ai meu Deus, mas eu não tenho dinheiro, não tenho convênio, não tenho tempo, não posso ir ao médico, não posso ir ao nutricionista” pelo menos assuma as consequências. Poucas academias e estúdios exigem atestados médicos, então o mínimo que você pode fazer é dizer para sua professora quais são os seus objetivos com relação à dança, e sem dúvida nenhuma dizer se já teve algum problema, lesão ou doença.

Quanto à alimentação, se você ainda não pode ir a um nutricionista, pelo menos tente balancear suas refeições, consumir produtos mais saudáveis, evitar alimentos industrializados, gorduras. Outra coisa importante é evitar pensar em calorias, mas sim pensar no benefício do alimento que está consumindo. Por exemplo: uma fatia de Pão Integral x Pão Branco. Geralmente o pão integral tem mais calorias, mas qual tem mais fibras e vai te saciar com mais rapidez? O pão integral sem dúvida. Este é o tipo de pensamento que deve levar para o seu dia a dia.

- O terceiro passo é verificar quantas vezes por semana você pode praticar atividade física. Aumente a frequência das aulas de Dança, busque também novos horizontes.
Eu tive um professor na faculdade que se referia aos “atletas de fim de semana”, que são aqueles que só praticam atividade física no Sábado, tipo aquele joguinho de futebol... Sai do futebol e vai pro churrasco comer de montão, e passa a semana inteira indo do trabalho para casa, assistindo televisão e dormindo. Isto não é atividade física, não vai te trazer benefícios. Claro que o exemplo que usei é extremo, mas se você pratica dança do ventre apenas 1 vez por semana, não espere por um milagre. Lembre-se que emagrecer exige dedicação e disciplina. Portanto, busque agora mesmo mais uma aula para frequentar, num dia diferente da que você já frequenta.

- Quarta dica é incluir na sua rotina momentos dançantes. Separe 30 minutos por dia para dançar sem parar músicas que você goste. De preferência agitadas e que te mantenham em constante movimento e deslocamento... Vou explicar: Aqui vamos mexer com os picos de intensidade, então se você separar 30 minutos todos os dias, monte um CD com 6 músicas de 5 minutos e intercale uma agitada e ritmada com uma mais calma. Não precisa ser só música árabe, você é quem manda!

Estudos mostram que existem resultados positivos para quem fraciona o treinamento ao longo do dia, por exemplo quem faz esteira de manhã e musculação à noite. Isto não precisa ser feito todos os dias, pode ser intercalado 3 dias para esteira e 5 dias de musculação ou vice-versa. No nosso caso, com a dança, vamos fazer uma simulação. Você faz aula regular 2 x por semana, e 5 x por semana dança por 30 minutos sem parar. Se você conseguir, ainda dá para combinar 3 dias na semana em que você faz 2 treinamentos em um dia. Então dança pela manhã 30 minutos e pela tarde 30 minutos. De preferência, estes 3 dias devem ser os dias que não tem aula de dança. E nos dias das aulas, dance 30 minutos de manhã e depois vá para sua aula no horário que for.

Fuja daquele mito de que por 30 minutos você somente aqueceu, e só depois dos 30 começa a queima de gordura. Isto não existe. O que existe é trabalhar com intensidades, acelerar seu metabolismo, atingir a zona alvo e consequentemente a queima calórica. Pessoas que andam na esteira por 1 hora e 30 minutos todos os dias com baixa intensidade têm muito menos resultado do que daquelas que praticam por 30 minutos. Claro que todo tipo de treinamento é desenvolvido de acordo com as preferencias do aluno, tem alunos que adoram ficar na esteira e alunos que odeiam, e desta forma vamos adequando. A questão é que para todos os gostos existem soluções e resultados desde que sejam trabalhados e estimulados de maneira correta.

Outro estudo recente, muito interessante, tem mostrado a evolução e o desempenho de quem pratica Aeróbico em Jejum, o famoso AEJ. Esta prática deve ser feita com muito cuidado, e não pode ultrapassar 30 minutos de exercício. Na verdade o que acontece é que como você está em jejum, à medida que seu corpo for consumindo energia as reservas de glicogênio estarão baixas por conta do jejum e a metabolização da gordura será feita com mais rapidez, para ser utilizada como fonte de energia. Mas, se passar de 30 minutos, pela falta de glicogênio, é possível que a pressão caia, que a glicemia fique alterada, dentre outros. Portanto, somente 30 minutos, ok? Para algumas pessoas funciona muito bem, para outras nem tanto.

Então fica combinado que se você quer emagrecer, você irá se dedicar ao máximo. Não pode ter preguiça, não faça dieta e sim reeducação alimentar, dance todos os dias da semana! Não preciso nem dizer que além de você emagrecer, seu organismo vai liberar uma dose de endorfina e consequentemente mais alegria!

danca_do_ventre_emagrece

Além de consultar um médico e um nutricionista, não se esqueça de consultar um profissional de Educação Física, que avaliará todo o seu condicionamento, e irá prescrever o treinamento mais adequado para você. Aqui damos algumas dicas de como você pode potencializar o gasto calórico através da dança.

“Histórias que o povo conta”

Eu sou Bruna Nassif, Bailarina e Educadora Física. Eu particularmente sempre sofri muito com o meu peso, desde criança. Chorei muito nos tempos de escola por me chamarem de “gorda, baleia, saco de areia”. Chegava em casa com 8 anos de idade e ficava assistindo aqueles programas de variedades, que sempre ensinavam alguns exercícios para a mulherada, e eu já me matava tentando fazer abdominais e polichinelos, sem resultado nenhum... Até porque eu tinha 8 anos né, e meu corpo nem tinha se formado ainda. Acredito que tudo isto alavancou a minha formação em Educação Física, e sei que foi uma das melhores coisas que busquei.

Enfim, aqui quero dar dicas e experiências próprias do que já funcionou ou não funcionou comigo. O meu problema é a boca, não tenho dúvida. Moro com meus pais, e minha mãe - filha de árabe com italiano - só faz banquete! Meu pai é viciado em fast-food e todos os dias, depois que dou várias aulas tipo Zumba, Bellyfitness, Dança do Ventre e me sinto aliviada, chego em casa e tem sempre uma pizza ou esfiha. Você acha que eu vou negar? Haha Pois é, temos que ser fortes.

Então, para encerrar este artigo eu tenho 3 dicas secretas, que podem ser mito ou verdade, mas que pra mim sempre funcionaram:

1-      Tomar água morna com limão em jejum. É tiro e queda! Não existe melhor detox do que este! Sempre que exagero na noite anterior, acordo no dia seguinte e tomo. É sucesso. Me sinto outra pessoa, adeus inchaço! Apenas evite tomar diariamente, principalmente quem tem problemas gastrointestinais.

2-      Usar gel redutor + sacola plástica + cinta. Existem muitas brincadeirinhas do tipo “nossa, se tá difícil para quem treina pesado imagina para quem espera resultado de gel redutor”. É claro que o gel redutor te faz suar muito na região em que você o passa, e que você está perdendo líquido e não gordura, mas que dá uma afinada dá, e massageia o ego. Sem contar que os americanos agora desenvolveram um novo gel redutor, só que camuflado, que vejo vários marombeiros usando. Na prática, é tudo igual.

3-      Tratamentos Estéticos. Existe uma infinidade no mercado, e não é à toa que eles fazem sucesso com a mulherada. É muito legal apostar numa drenagem linfática, ou massagem modeladora para finalizar o trabalho que você tem no dia a dia com seu corpo.

Muitas pessoas se frustram ao tentar emagrecer porque apostam somente em uma única alternativa. Apostam só na dieta, ou só nos tratamentos estéticos, ou só na atividade física. O segredo é que um depende do outro para ter sucesso. E o sucesso depende de você. Ter sucesso não é ser magra, mas sim estar de bem consigo mesma, saúde em dia, e eu digo saúde no quesito de desempenhar tarefas diárias simples, que muitas pessoas por conta do sedentarismo não conseguem mais fazer.

Por isso cuide-se!
Encante-se, dance!
Bruna Nassif
http://www.bellyfitness.com.br/

Você já tentou emagrecer e não conseguiu? Conta pra gente!

Fonte: Central da Dança do Ventre

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui