3 de abr de 2017

Vacina contra febre-amarela estará disponível em todas as unidades na segunda-feira

Mais informações aqui

Feira de Santana recebeu nesta sexta-feira, 31, do Ministério da Saúde, 15 mil doses de vacinas contra a febre-amarela. O quantitativo faz parte do montante de 350 mil que estão sendo enviadas gradativamente para o município. A partir de segunda-feira, 3, as vacinas já estarão disponíveis em todas as unidades de saúde. 
 
A informação foi divulgada na tarde desta sexta, durante uma reunião com todos os enfermeiros da rede municipal de saúde, realizada no auditório Dr. João Batista de Cerqueira, na SMS. O encontro teve o objetivo de estabelecer estratégias de prevenção da febre amarela. A secretária Denise Mascarenhas falou que é importante deixar os profissionais atentos sobre a situação do município. 
 
“Estamos há alguns meses fazendo ações de prevenção, o que nos deixa mais tranquilos. A cidade não tem caso registrado, e estamos trabalhando para atender a população”.
 
Os profissionais foram orientados acerca da distribuição da vacina e do atendimento a pacientes que possam aparecer com sintomas semelhantes a arbovirose. 
 
A coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Francisca Lúcia de Oliveira, alertou que “qualquer individuo que tenha viajado para áreas de risco e apresente os sintomas da doença deve ser notificado, para que seja realizado um acompanhamento e  a realização dos exames necessários”.
 
A doença é não contagiosa e possui curta duração, no máximo 12 dias. Os sintomas são febre, calafrios, dor de cabeça, náuseas e vômito. O único meio de prevenção é a vacinação.
 
Existem dois tipos de febre amarela: a silvestre e a urbana. Essa semana foi confirmado 1 caso de febre amarela silvestre em um primata no município. Mas Feira de Santana não possui nenhum caso da doença em humanos. A Secretaria alerta que os primatas não transmitem a doença e que é importante a população não matar esses animais pois servem de indicadores. Ao encontrar um macaco morto a população deve entrar em contato com o Centro de Controle de Zoonozes (CCZ), através do telefone 3614-3613.

Fonte: Secom / PMFS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui